9/11 - O pesadelo que afinal era realidade

Author: Arthur /


Lembro-me como se fosse hoje...
Minha mãe acordou-me, em pânico, gritando que uma das torres gêmeas do World Trade Center estavam em chamas... "um avião bateu contra a torre!", replicava, ao mesmo tempo que me arrastava para junto do televisor...
Confesso que de início, completamente ensonado, pensei que estava a sonhar (a ter um pesadelo, talvez?) ou a assistir a mais um filme dos muitos que, até á data, se faziam, onde o enredo ia dar sempre ao mesmo: terroristas tentavam atacar a maior potência do mundo através da sua cidade mais carismática e depois de alguma acção as coisas não passavam disso mesmo... um filme à boa maneira americana!
Contudo, e quando viu a face horrorizada do jornalista, comecei finalmente a perceber que, afinal, não era um sonho...
A imagem que ilustra este post é, precisamente, aquela que assisti mal coloquei os olhos no televisor!
Estava estupefacto com o que assistia, não queria acreditar no que via, esfregava os olhos, beliscava-me com a esperança de que tudo aquilo não fosse verdadeiramente realidade...
Perto de 2.900 pessoas faleceram naquele trágico dia que ficou para a história conhecido como o "Nine/Eleven".
Para além dos dois aviões que foram "atirados" contra as torres gémeas do World Trade Center, um terceiro despenhou-se no edifício do Pentágono, enquanto um quarto despenhou-se (as verdadeiras causas continuam por se conhecer) num descampado da Pensilvânia.
A todos os que pereceram no atentado terrorista do 9 de Setembro de 2001 a minha homenagem, através do refrão do hino nacional dos Estados Unidos da América.

"Oh, thus be it ever when freemen shall stand.
Between their loved home and the war's desolation!
Blest with victory and peace, may the heaven-rescued land
Praise the Power that has made and preserved us a nation.
Then conquer we must, when our cause it is just.
And this be our motto: "In God is our trust".
And the star-spangled banner in triumph shall wave
O'er the land of the free and the home of the brave."

3 ataques:

Deusinha disse...

Pois é, maninho...

Mundo de loucos este!
Não poderia deixar de "postar" aqui, ao teu lado, a minha homenagem sentida a todos esses heróis anónimos que pereceram vítimas da loucura, fanatismo irracional e inveja de uma bando de psicopatas, predadores da própria espécie e, para resumir, bestas humanas que é o único adjectivo que merecem!
A memória é curta mas isto nunca será esquecido!!!

© Cláudia disse...

Às vitimas, a minha homenagem.
Quanto aos causadores, não há adjectivo que os classifique...

Deusinha disse...

Bem dito Cláudia!