Carta do marido à mulher que está de férias

Author: Arthur /

Querida:

Muito obrigado pela tua linda e carinhosa carta.

Podes ter a certeza de que eu sei tratar de mim, por isso, não te preocupes comigo.

Durante a tua ausência, não se tem passado nada de especial cá em casa.

Enquanto estás fora, tenho preparado o meu próprio almoço, e todos os dias me espanto de como tudo tem saído bem!...

Já que estou sempre com pressa, ontem decidi fazer batatas fritas.

Já agora, diz-me uma coisa: era preciso descascar as batatas?

Enquanto estavam a fritar, aproveitei para ir buscar uns brioches à padaria.

Quando voltei, o esmalte da frigideira tinha derretido.

Nunca pensei que o estupor da frigideira aguentasse tão pouco.

E tu que me dizias que o Teflon aguentava tudo e mais alguma coisa!

Já consegui tirar toda a fuligem da cozinha, mas o nosso gato Fred, é que ficou preto que nem um tição, e agora tosse o dia inteiro… Desde esse dia entra em pânico e foge quando mexo nas panelas ou abro o bico do fogão.

Já que pelo menos uma vez por dia preciso de uma refeição mais elaborada, quando estou a fazê-la, o Fred dá 'às de Vila Diogo' e só aparece passadas umas horas...

Diz-me outra coisa: quanto tempo é que é preciso para cozer os ovos?

Eu já os pus a ferver há duas horas, mas mesmo assim, continuam duros que nem uma pedra!

Também queria que me dissesses se se pode aproveitar leite queimado.

Queres que o guarde na despensa até tu voltares?

Na semana passada tive um pequeno contratempo ao cozinhar umas ervilhas.

Vou-te contar: agarrei numa lata e decidi aquecê-la.

Mas, infelizmente, explodiu dentro do microondas.

A porta do microondas foi projectada para fora da cozinha e foi dar contra a nossa pequena estufa de inverno, que claro, ficou partida, assim como a janela.

Como a janela estava fechada (preciso de a fechar antes de começar a cozinhar, senão os bombeiros aparecem outra vez), a porta do microondas arrancou-a também, tal foi a força.

Por sua vez, a lata de ervilhas, parecia um foguete a levantar voo!...

Atravessou o tecto e foi embater na filha do Freitas, o nosso vizinho de cima.

Parece-me que ela ficou bem…

Outra coisa: já te aconteceu a louça suja ficar com mofo?

Como é que isto se pode dar em tão pouco tempo?

Afinal, tu foste de férias no mês passado, mas parece que foi ontem!

Aliás, atrás do lava-louças há montes de bichos; daqui a pouco até vai dar para fazer um documentário e vendê-lo ao 'National Geographic'…

De onde é que saíram tantos bichos cheios de pernas?

Puseste alguma coisa que não devias lá atrás?

Bom, isto acabou por fazer com que eu tomasse uma atitude e lavasse a louça.

Por favor não me insultes, meu amor, mas aquele lindo serviço de jantar de porcelana da tua avó, já era…

Eu realmente não contava com isso, afinal de contas parecia tão robusto e sólido!

Bom, talvez eu tenha exagerado um bocadinho ao pôr o lava-louças no 'programa completo com centrifugação'…

Aliás, a máquina de lavar roupa também se escangalhou.

A faca de aço temperado que eu pus lá dentro, sem querer, estragou o cilindro durante a centrifugação, porque ficou presa na parede interna.

Quanto ao cilindro, atravessou a parede de tijolos, fazendo um pequeno buraco, e foi aterrar no jardim.

Durante um dos almoços, sujei a carpete persa com molho de tomate.

Sempre me disseste que as manchas do molho de tomate são impossíveis de tirar.

Ficas a saber, meu amor, que com um bocadinho de aguarrás, sai tudo, mas mesmo tudo, inclusivamente, a lã e a seda da carpete.

O frigorífico estava a fazer muito gelo, por isso, tive que o descongelar.

Tenho que te ensinar uma coisa: o gelo sai facilmente se o raspares com uma espátula de pedreiro!

Só não sei é porque é que agora passou a aquecer...

O iogurte, a água com gás e o champanhe, explodiram.

Sabes, querida, na passada quinta-feira, esqueci-me de, ao sair, fechar à chave a porta de casa.

Alguém deve ter entrado, porque faltam algumas coisas de valor, entre elas, aquele colar de marfim que o teu bisavô trouxe da expedição a África, no século XIX.

Mas, como tu costumas dizer, o dinheiro não dá felicidade, e tudo o que é material, é efémero.

O teu guarda-vestidos também está vazio, mas penso que não devem ter levado muita coisa, já que, sempre que saímos, tu dizes que não tens nada que vestir…

Bom, vou ficar por aqui, mas amanhã conto-te mais coisas!

Espero que te descontraias bastante no SPA e que gozes muito o teu descanso.

Beijos mil, com muito amor, do teu Afonso que muito te ama!!!

P.S.: A tua mãe veio cá ver como estavam as coisas, e teve um enfarte.

O velório foi ontem à tarde, mas eu preferi não te contar nada para não te estragar as férias e aborrecer-te desnecessariamente.

Afinal de contas, tens que aproveitar as tuas férias e voltares muito descontraída do teu SPA.

Beijos, do teu dedicado marido.

2 ataques:

Rita Rebelo Teves disse...

Maravilhoso! E ler isto ao comçar um dia de trabalho, ainda melhor! Arthur acho que finalmente acertaste!!!!Fica bem

S.Soares disse...

Muito bom...

Bom ano, merece tudo de bom.